Receba GRÁTIS o Passo a passo para Fazer uma REDAÇÃO nota 1000!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Sem votos)
Loading...

8 Melhores Universidades para cursar Medicina

O médico investiga a natureza e as causas das doenças humanas, procurando sua cura e prevenção. A saúde humana é o objeto de estudo do médico. Ele pesquisa, previne e trata disfunções e moléstias. Para isso, é imprescindível que ele esteja sempre bem informado e atualizado a respeito de novas drogas, técnicas e tecnologias.

Faz diagnósticos, pede exames, prescreve medicamentos e realiza cirurgias. Participa também de programas de prevenção e de planejamento da saúde coletiva. Há trabalho para o médico em hospitais, clínicas, postos de saúde e empresas. Grande parte atua em consultório próprio.

Foto: Análises - Divulgação

Foto: Análises – Divulgação

Uma pesquisa feita em 2013 pelo Instituto de Política Econômica Aplicada (Ipea) mostra que a Medicina é a carreira que remunera melhor no país e a que apresenta a maior taxa de ocupação. De lá pra cá, a situação não mudou muito. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a proporção ideal em um país é de um médico para cada mil habitantes. No Brasil, com cerca de 430 mil profissionais, segundo o Conselho Federal de Medicina, a relação é de dois para cada mil habitantes.

No entanto, o mercado de trabalho para esse profissional está longe de se esgotar. Isso porque há forte desequilíbrio regional: enquanto a população dos grandes centros urbanos conta com grande quantidade de médicos, capitais no Norte e Nordeste e localidades mais distantes, do interior do país, carecem desse profissional.

Foto: Estudantes de Medicina - Divulgação

Foto: Estudantes de Medicina – Divulgação

Faltam no interior do país especialistas em áreas como emergência, anestesia, neurologia e cirurgias de alta complexidade, principalmente para atuar pelo SUS (Sistema Único de Saúde) via o programa Mais Médicos. As chances de sucesso são maiores quando o médico se associa a um hospital ou integra o corpo clínico de um plano de saúde. Isso facilita a conquista de pacientes e livra o profissional dos altos custos de manutenção de um consultório particular.

As 8 melhores universidades para cursar Medicina no Brasil –  segundo o MEC

1) Universidade Federal do Espírito Santo (Vitória)

A Graduação tem como foco formar um médico generalista capaz de identificar, resolver ou encaminhar os diversos problemas de saúde da população, mediante atividades preventivas e curativas executadas por processos clínicos, cirúrgicos e educativos.

O mercado de Trabalho esperado para tal profissional da saúde é abrangente, incluindo consultórios particulares, clínicas de saúde, hospitais, postos de saúde, laboratórios, escolas, instituições científicas, recreativas, esportivas, industriais, comerciais e de magistério.

Esse Curso esta vinculado ao Centro de Ciências da Saúde da UFES, Federal do Espirito Santo. A Faculdade de Medicina começou a funcionar efetivamente, iniciando as aulas da sua primeira turma, em 13 de abril de 1961. O curso de Medicina tem aproximadamente 480 (quatrocentos e oitenta) alunos. São 80 (oitenta) vagas de vestibular com duas entradas por ano, primeiro e segundo semestre. O curso é completado com 12 (doze) semestres.

Foto: Alunos de Medicina - Divulgação

Foto: Alunos de Medicina – Divulgação

O Hospital Universitário Cassiano Antonio de Moraes (HUCAM) é considerado o maior da rede pública do Espírito Santo, tendo em vista o volume de atendimentos, sobretudo na alta complexidade.

Fica localizado em Maruípe, em Vitória, e cumpre a função de hospital-escola, atuando na formação direta de médicos e enfermeiros e, indiretamente, de outros profissionais, oferecendo campo de estágio. Tem um leque amplo de programas, diversos deles vinculados a instituições internacionais de pesquisa.

A Ufes apresenta ainda laboratórios de pesquisa e ensino, além de bibliotecas um acervo de materiais de estudo para seus estudantes.

2) Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Natal)

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte foi criada em 25 de junho de 1958, através de lei estadual, e federalizada em 18 de dezembro de 1960. Foi formada a partir de faculdades e escolas de nível superior já existentes em Natal, como a Faculdade de Farmácia e Odontologia; a Faculdade de Direito; a Faculdade de Medicina; a Escola de Engenharia, entre outras.

O Campus abriga atualmente um arrojado complexo arquitetônico, circundado por um anel viário que o integra à malha urbana da cidade de Natal.  Uma reforma do Estatuto da UFRN, concluída em 1996, estabeleceu a estrutura em vigor hoje na Universidade.

Atualmente, a UFRN oferece 84 cursos de graduação presencial, 9 cursos de graduação a distância e 86 cursos de pós-graduação. Sua comunidade acadêmica é formada por mais de 37.000 estudantes (graduação e pós-graduação), 3.146 servidores técnico-administrativos e 2 mil docentes efetivos, além dos professores substitutos e visitantes. O curso de medicina é disponibilizado nos campi Natal e Caiacó,

3) Universidade Federal de Uberlândia (Uberlândia)

A Faculdade de Medicina constitui uma Unidade Acadêmica no âmbito da Universidade Federal de Uberlândia que tem por objetivo produzir, sistematizar e difundir o conhecimento científico e tecnológico na Área da Saúde para formação de profissionais éticos, autônomos, reflexivos e críticos, habilitados para a aplicação prática, ampliação e aperfeiçoamento dessa formação no ensino, pesquisa, extensão e assistência, visando a melhoria da qualidade de vida em seus múltiplos e diferentes aspectos humanos e sociais.

4) Faculdade de Medicina do ABC (Santo André)

Instituição de ensino que motivou a origem da Fundação do ABC em 1967, a Faculdade de Medicina do ABC foi oficializada um ano depois, em 1968, e iniciou a primeira turma em Santo André em 1969. É considerada hoje uma das melhores escolas médicas e de ciências da saúde do País.

Foto: Aulas práticas de Medicina - Divulgação

Foto: Aulas práticas de Medicina – Divulgação

Exemplo disso é a nota máxima 5 obtida em 2011 no Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) nos cursos de Medicina e Ciências Farmacêuticas. Em 2010 abriu o Doutorado em Ciências da Saúde, inserindo-se no hall das grandes instituições de ensino produtoras de conhecimento. Dispõe de mais de 60 cursos de pós-graduação lato sensu, além de Mestrado e Doutorado na área de stricto sensu recomendados pela CAPES do Ministério da Educação.

Outro indicador de qualificação e prestígio da FMABC é seu programa de Residência Médica: para 2012 foram ofertadas 152 vagas e inscreveram-se 1.571 candidatos, ou seja, média de 10 por vaga. Há aproximadamente 350 residentes atuando todo ano nos serviços de saúde parceiros da mantenedora Fundação do ABC.

Com quase 4 mil profissionais formados ao longo de mais de 40 anos, a FMABC mantém graduações como Gestão em Saúde Ambiental, inédita no Brasil, e de Terapia Ocupacional, única no Grande ABC.

5) Universidade Estadual de Maringá (Maringá)

Para os estudantes que buscam uma Graduação no Curso de Medicina, a UEM é uma boa opção de vestibular para se prestar, afinal o curso de formação médica foi avaliado como o melhor do Paraná.

Foto: Estudante de Menicina - Divulgação

Foto: Estudante de Menicina – Divulgação

O curso tem a duração de seis anos, sendo oferecidas 40 vagas anualmente (numero reduzido que tem por objetivo criar maior contato aluno-professor). O método de ensino é o Tradicional, em que os 4 primeiros anos são basicamente de formação teórica (com aulas de Anatomia, Fisiologia, Bioquímica, Cirurgia, etc), com algumas atividades práticas de laboratório. Já nos dois últimos anos, os estudantes fazem o estágio – Internato.

A maioria das atividades dos estudantes internos são desenvolvidas no Hospital Universitário Regional de Maringá, cujo departamento de Medicina conta com 88 professores contratados, dos quais 26 com titulação de doutor e 21 com titulação de mestre.

Sendo o único hospital público da região, o HU é centro de referência em cirurgia de redução do estômago e no atendimento a gestantes de alto risco. Recebeu o título de Amigo da Criança, concedido pelo Ministério da Saúde e Unicef, por incentivar o aleitamento materno. É habilitado para transplante de córnea e participa da Rede Paranaense de Terapia Celular.

Apos a formação o estudante pode prestar a Prova para Residência médica na UEM, são oferecidas residências nas áreas: pediatria, clínica cirúrgica, gineco-obstétrica, clínica médica, psiquiatria e anestesiologia.

6) Universidade Federal de Goiás (Goiania)

A Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás (FM/UFG) é a primeira do Estado e iniciou suas atividades em 1960 e foi reconhecida em 1968. Já graduou mais de 5.000 médicos, a maioria deles exercendo suas atividades na própria Região Centro-Oeste. O curso oferece 110 vagas por ano e cumpre os seus objetivos através de 12 semestres ou seis anos. Desenvolve-se em vários espaços físicos próprios da Universidade e da competência do Sistema Único de Saúde.

As aulas ministradas pelo Instituto de Ciências Biológicas (ICB) são realizadas no Campus II (Campus Samambaia). As demais são oferecidas no Campus Colemar Natal e Silva (Campus I) em prédios da própria Faculdade, do Hospital das Clínicas da UFG e nas dependências do IPTESP (Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública da UFG), além de hospitais e laboratórios da rede pública de saúde estadual e municipal.

7) Universidade Federal de São Paulo (São Paulo)

Os Campi São Paulo, localizados na cidade de São Paulo, com origem no bairro de Vila Clementino – com as atividades iniciadas em 1936, sendo o primeiro e maior, onde localiza-se a sede da reitoria da UNIFESP (Rua Sena Madureira, 1500), seu hospital universitário (Hospital São Paulo) e onde são atualmente ministrados os cursos de Medicina, Enfermagem, Ciências Biomédicas (modalidade médica), Fonoaudiologia e Tecnologias em Saúde com habilitação em oftalmologia, Radiologia ou Informática em saúde. Nele encontra-se a Biblioteca Regional de Medicina (BIREME), desde 1957; mantida com a ajuda da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)/Organização Mundial da Saúde (OMS).

Foto: Aula Prática - Divulgação

A sede da Reitoria era o Edifício Octávio de Carvalho (que desde sua inauguração nos anos 1970 também foi a sede da Diretoria da E.P.M.) até dezembro de 2009, sendo agora o edifício localizado na Rua Sena Madureira, 1500; reunindo a Reitoria, as Pró-Reitorias e o aparato administrativo.

A partir de 2013 o campus São Paulo é constituído pelas unidades Vila Clementino (principal, com a Escola Paulista de Medicina e Escola Paulista de Enfermagem), Centro, Santo Amaro e Zona Leste/Itaquera.

8) Universidade Positivo (Curitiba)

O curso de Medicina tem seis anos de duração e exige dedicação em tempo integral. As atividades desenvolvidas no curso incorporam as mudanças provocadas pelas novas necessidades sociais e pelo acúmulo do conhecimento científico.
O curso de Medicina da Universidade Positivo trabalha em duas vertentes: o avanço tecnológico e científico incorporado ao ensino, para que os novos médicos possam estar prontos para o exercício da boa prática médica, e a recuperação do humanismo da profissão, para que o exercício profissional se dê ancorado nas necessidades das pessoas.

Foto: Aula de Medicina - Divulgação

Foto: Aula de Medicina – Divulgação

Proporciona, desde o seu início, não só os conhecimentos, mas também as habilidades e atitudes necessárias a partir de forte inserção na prática profissional dentro do sistema de saúde. A formação do médico se dá de forma integral, contemplando as diversas dimensões da saúde e do adoecer no ser humano.

Além das atividades de ensino é importante que o aluno se envolva com atividades de extensão universitária e de pesquisa. A monitoria acadêmica, a iniciação científica, os eventos culturais e os estágios voluntários também são atividades do cotidiano do estudante de Medicina.

Assista este vídeo e Descubra como você também pode transformar sua Redação do Enem!

Receba GRÁTIS o Passo a passo para Fazer uma REDAÇÃO nota 1000!